terça-feira, 17 de setembro de 2019

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Publicação: Cultura Hip-Hop e Enfretamento à Violência: uma Estratégia Universitária Extensionista

Olá, Pessoal.

Socializo com vocês o artigo "Cultura Hip-Hop e Enfrentamento à Violência: uma Estratégia Universitária Extensionista", publicado na Fractal: Revista de Psicologia, vinculada ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia, da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Autores: Jaquelina Maria Imbrizi; Eduardo de Carvalho Martins; Marcela Garrido Reghin; Danielle Kepe de Souza Pinto; e Daniel Péricles Arruda.

Para baixar o artigo, clicar aqui.


domingo, 1 de setembro de 2019

Andréa Almeida Torres (1969-2019)


Fui aluno da Profa. Andréa em duas ocasiões e, recentemente, colega de trabalho... Andréa deixa para nós um importante legado de pesquisas e reflexões sobre o Serviço Social, o sistema prisional e os direitos humanos... Mais do que isso, deixa também o exemplo de ternura, força, coragem e determinação...

(Silêncio...)



quarta-feira, 28 de agosto de 2019

É que nem Colombo (Foto 4)



"Sem mistério, na hora do pega: vários amigos/
Cemitério: o sofrimento sentia sozinho/
É isso, perder o controle, mano, é desse jeito/
Perder família, amigos, saúde, respeito, lamento/
Sem sorte, afeto, teto e a vida todo mundo foge/ (É dose!)
É muito triste o caminho da overdose/
É um capote, Colombo, pensava estar no topo/
A alma já se foi e agora é o corpo)/"

(É que nem Colombo - Vulgo Elemento)


terça-feira, 27 de agosto de 2019

É que nem Colombo (Foto 3)



"Sufoco todo dia, louco na correria/
Morador do sofrimento, túnel sem saída/
Alternativa ver o dia nascer e morrer/
Pode crer, brincadeira morrer de viver/"

(É que nem Colombo - Vulgo Elemento)

sábado, 24 de agosto de 2019

É que nem Colombo (Foto 2)



"É sem massagem, jão, né brincadeira, não/
Atenção, É quem nem Colombo pros irmãos/
Pedra química, que faz vítima, nessa fita/
Colombo é o personagem da história que inicia.../"

É que nem Colombo (Vulgo Elemento)

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

É que nem Colombo (Foto 1)



"... A vida e as suas vivências, 
As ruas e as consequências: aparências...
Que se misturam a cada passo quadrado,
Nesse compasso bem largo,
Encontro corpos vazios de humanidade..."

(É que nem Colombo - Vulgo Elemento)

terça-feira, 16 de julho de 2019

Idosofobia

IDOSOFOBIA
Que a vida seja vista e entendida por seus processos, gerações...
Que as pessoas não tenham medo ou vergonha de suas transformações...
Porque assim nos faz a vida...
Somos construções inacabadas, frustradas, fantasiadas, às vezes, terminadas...
Vejo-me, amanhã, no hoje... Vejo-me, hoje, no ontem... A vida não é uma linha reta e nem uma reta linha...
Vejam. Outro dia, chamaram-me de velho, com um tom áspero e pavoroso...
A palavra velho, ora me agride, ora me acaricia...
Ser chamado de velho, enquanto carinho, é amor, afago...
Ser chamado de velho, como insulto, é agressão, violência...
Termo flutuante, que não exime as explicações numa simples postagem, como esta... 
E nem a minha imagem consegue dizer tudo o que penso, quando me vejo amanhã, que é parecido com o que sou hoje, e com aquilo que fui ontem, quando acabei de nascer...
Idosofobia...

sábado, 6 de julho de 2019

III Congresso Internacional - Universidade Estadual de Londrina (UEL)

III Congresso Internacional de Política Social e Serviço Social: desafios contemporâneos
IV Seminário Nacional de Território e Gestão de Políticas Sociais
III Congresso de Direito à Cidade e Justiça Ambiental

Mesa 15: Racismo, Encarceramento em Massa e Juvenicídio no Brasil
Palestrantes:
Profa. Dra. Magali da Silva Almeida - UFBA
Prof. Dr. Daniel Péricles Arruda - UNIFESP - campus Baixada Santista
Mediadora:
Profa. Dra. Andréa Pires Rocha - Serviço Social - UEL

Foi muito importante compartilhar reflexões, ouvir indagações e relatos dos/as participantes do evento...

A arte (rap/poesia) como mediação nos oferece leveza, profundidade, argumentação, palavra e escuta para tratarmos de assuntos densos e complexos...

Obrigado, Profas. Liana Lopes Bassei e Andréa Rocha pelo carinho e atenção. Agradeço também ao pessoal da Rádio UEL FM, 107.9, Programa do Meio-Dia, onde fui entrevistado pela Eliete, e o pessoal do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB) da UEL, que me presenteou com vários livros!

Fiquei surpreso ao conhecer um jovem, Felipe, que acompanha minhas músicas, desde 2015, em Londrina... Isso me chamou a atenção para o impacto do nosso trabalho na vida do/a jovem... E como temos responsabilidades naquilo que escrevemos e cantamos... Foi o que também pensei ao conhecer o João Pedro, Janjão, de seis anos de idade...

Salve!
(Clicar nas Imagens para ampliá-las)






Mais fotos, aqui.

segunda-feira, 1 de julho de 2019

III Congresso Internacional - Universidade Estadual de Londrina (UEL)

III Congresso Internacional de Política Social e Serviço Social: desafios contemporâneos

IV Seminário Nacional de Território e Gestão de Políticas Sociais

III Congresso de Direito à Cidade e Justiça Ambiental

(Clicar na imagem para ampliá-la)

Mesa 15: Racismo, Encarceramento em Massa e Juvenicídio no Brasil
Palestrantes: 
Profa. Dra. Magali da Silva Almeida - UFBA
Prof. Dr. Daniel Péricles Arruda - UNIFESP - campus Baixada Santista
Mediadora:
Profa. Dra. Andréa Pires Rocha - Serviço Social - UEL

Programação completa, clique aqui.




segunda-feira, 24 de junho de 2019

Trocas

Café com troca de livros... Troca de ideias e afetividades... Obrigado pelo carinho de sempre, Rita! Parabéns por essa importante contribuição: "Serviço Social na Justiça de Família: demandas contemporâneas do exercício profissional". (Dalva Gois e Rita Oliveira).


(Clicar nas imagens para ampliá-las)


terça-feira, 18 de junho de 2019

8/80 do Estado: sobre tiros, afetos e enfrentamentos - Programa de Educação Tutorial (PET) - Psicologia, Subjetividade e Direitos Humanos - PUC-SP

Roda de conversa sobre "8/80 do Estado: sobre tiros, afetos e enfrentamentos", organizada pelo Programa de Educação Tutorial (PET) - Psicologia, Subjetividade e Direitos Humanos - PUC-SP...

Falas potentes... Reflexões significativas... Modos de resistência...

Parabéns a todos/as envolvidos/as nessa importante ação!

Continuemos na luta!

(Clicar nas imagens para ampliá-las)



p

Mais fotos, aqui.


segunda-feira, 17 de junho de 2019

8/80 do Estado: sobre tiros, afetos e enfrentamentos

O Programa de Educação Tutorial (PET) - Psicologia, Subjetividade e Direitos Humanos - convida para roda de conversa intitulada "8/80 do Estado: sobre tiros, afetos e enfrentamentos".

Local: PUC-SP, sala T-49, prédio velho.


(Clicar nas imagens para ampliá-las)





segunda-feira, 10 de junho de 2019

Lançamento do livro Poetas da Gruta, de Denis Rocha e Ricardo Vidal

A Ser Humanus acaba de lançar o livro Poetas da Gruta, de Denis Rocha e Ricardo Vidal.

"Você está à beira de um mergulho, respire fundo,
Esses poetas que te esperam, são ardilosos e arteiros,
Há água, fogo, fumo e vinho, sirva-se à vontade...
A carne servida no banquete é seu próprio corpo, que, 
depois de lido pelas escritas,
Transmutar-se-á em sabe-se lá o quê...
Acolha com amor e coragem, o que vier.
(A água é doce.)

Seja bem vind@ à Gruta,
Empresta-nos um bocado de seus ouvidos?   
(O fogo é ...)

Trecho do prefácio elaborado por Felipe Augusto (Bobina).

(Clicar na imagem para ampliá-la)

Para informações e/ou pedidos: serhumanus@gmail.com

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Celebrando a história de vida do Prof. Leandro Feitosa Andrade (1960-2018)



São Paulo, 14 de maio de 2019.

Por Daniel Péricles Arruda

Conheci o professor Leandro Feitosa em 2009, durante a minha participação na seleção do Programa Internacional de Bolsas de Pós-graduação da Fundação Ford (International Fellowships Programa – IFP).

Ele foi um dos entrevistadores daquele processo seletivo e, na etapa seguinte, foi quem me orientou, ajudando-me a refletir melhor acerca do meu tema de pesquisa e a decidir em qual universidade poderia me candidatar.

Esses dois momentos foram marcantes, em minha trajetória. Fiquei encantado com o seu conhecimento e com o seu jeito sereno e educado de falar. Ali, percebi que ele era diferente...

Ele me fazia algumas perguntas para que eu aprofundasse as minhas questões... Com isso fazia-me ser protagonista e atuante em meu próprio processo de aprendizado... Com poucas palavras, respondia-me, sem deixar um fim; para que eu pudesse continuar a pensar...

Ao longo dos anos, fui acompanhando, na medida do possível, o seu percurso, suas atividades acadêmicas e trabalhos de/no campo, ou seja, no terreno vivo da vida cotidiana...

Prof. Leandro foi um dos poucos que estudou em profundidade e atuou diretamente com homens que praticaram alguma violência contra a mulher... Em uma sociedade punitiva, sabia que era preciso construir e fazer outro caminho, por meio da escuta, do cuidado e da reflexão...

O tempo foi passando e a vida foi mudando. Mas, para um aluno, um professor especial nunca envelhece, sempre está presente, pois os seus ensinamentos sopram nos ouvidos e as vivências ampliam a consciência...

Em nosso último encontro, em sua casa, com a sua companheira, Marilene, conversamos sobre a academia; trocamos informações sobre os contextos e os momentos atuais da vida. Naquele encontro, o fato marcante foi o café que tomamos... Que café gostoso! Me fez lembrar de Minas Gerais...  

E é um pouco disso... Hoje, após um ano de sua ida, resolvi socializar essas memórias em sua homenagem e para que não nos esqueçamos de sua caminhada...

Salve, Prof. Leandro Feitosa!

Obs.: Texto compartilhado no encontro "Celebrando a história de vida de Leandro Feitosa Andrade", realizado pelo Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, em São Paulo/SP.

sábado, 23 de março de 2019

Prêmio Sabotage 2019 - São Paulo/SP


Parabéns aos/às organizadores/as e aos/às vencedores/as 
do Prêmio Sabotage 2019.

... Que a nossa cultura hip-hop continue forte!

(Clicar nas imagens para ampliá-las)








quinta-feira, 21 de março de 2019

Prêmio Sabotage 2019

Já é uma grande satisfação o fato de estar
concorrendo a uma das categorias
do Prêmio Sabotage 2019...

Será amanhã... Bora chegar!

(Clicar na imagem para ampliá-la)

sábado, 16 de março de 2019

I research, because I’m curious...






... I research because I’m curious ... And curiosity makes me think and act ...

... I research because I have a desire for change!

... I try to preserve that curiosity of child, which sometimes, when encountering an object, looks, touches, names it in their own way, and asks, “What is this?”

...

Thus, research, for me today, is also a struggle, activism, resistance, and creative activity. A way to break through social barriers and produce answers, suggestions. And identify new issues in our daily lives ...

Hence ... I have reached the end of one more path (but the journey continues...). I have concluded my post-doc in Social Psychology by PUC-SP, under the supervision of Professor Vicentin, who honored me with her competence and knowledge, and guided me through. Thank you! I am grateful to the researchers from the Center for Institutional and Collective Logical Studies and Research (Nuplic), a group space in which I was able to learn, exchange information, and reflect. I thank the young people interviewed, the Hip-Hop culture partners, and the companions in the struggle and research, for the discussions and for the valuable contributions!

The research developed – Processes for Subjectivation of Peripheral Youth:
 recognition, hip-hop culture, and everyday life – served as support for the preparation of a scientific article, which will be published in a timely manner.

Greetings!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Pesquiso, porque sou curioso...



... Pesquiso, porque sou curioso... E a curiosidade me faz pensar e agir...
... Pesquiso, porque tenho desejo de mudança!

...Tento conservar aquela curiosidade de criança, que, por vezes, ao se deparar com um objeto, olha, toca, nomeia a seu modo, e pergunta: “O que é isso?”.
...
Então, pesquisar, para mim, hoje, também é luta, militância, resistência, atividade criativa. Um caminho para romper barreiras sociais e produzir respostas, sugestões. E identificar novas questões, em nossa cotidianidade...

Assim... Chego ao término de mais uma trilha (mas a caminhada continua...). Concluo o meu pós-doutorado em Psicologia Social pela PUC-SP, sob a supervisão da Profa. Maria Cristina Vicentin, estimada pela competência e pelo conhecimento, e por me acompanhar até aqui. Muito obrigado! Estendo o agradecimento aos(às) pesquisadores(as) do Núcleo de Estudos e Pesquisas Lógicas Institucionais e Coletivas (Nuplic), espaço grupal em que pude aprender, trocar informações e refletir. Sou grato aos(às) jovens entrevistados(as); aos(às) parceiros(as) da cultura Hip-Hop e aos(às) companheiros(as) de luta e pesquisa, pelos diálogos e pelas valiosas contribuições!

A pesquisa desenvolvida - Processos de Subjetivação da Juventude Periférica:  Reconhecimento, Cultura Hip-Hop e Cotidianidade -,  serviu de apoio para a elaboração de um artigo científico, que será publicizado em momento oportuno.

Um Salve!





sábado, 23 de fevereiro de 2019

Seletividade Penal - Vulgo Elemento

Seletividade Penal
Penal Selectivity


Composição e Interpretação: Vulgo Elemento
Produção Musical: Vulgo Elemento
Gravação/Mixagem/Masterização: DJ Duck Jam - Set Estúdio
Edição de Arte: Nayara Silva (NS Álbuns)


Pra quem tá presa, mano, pra quem tá preso/
Que tá na correria, e, aí, no desespero/
Sem visita, mó vazio no peito/
Dormindo apertado e maldade no pensamento/
Tudo é consequência, pra além das aparências/
Privatizações e suas conivências/
É mais jovem, preto e pobre, que vive essa experiência/
Prisão, hã, degradação da consciência/
Por que detento quer fugir?/
Rebelião e motim?

[Scratch: Dignidade]

Justiça e vingança confundem a humanidade/
A luta pelo direito de liberdade/
E para acabar com a criminalidade/
Pensam que é só reduzir a maioridade/
Seu filho já vai nascer preso, mãe/
Sem conhecer o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]
e antes de ir pro berço/
Pena de morte é válvula de escape/
Pra se livrar do jovem envolvido no crack/
Pena de morte, no Brasil, só não é legalizada/
Pois muitos morrem com a verba desviada/

“Então me fala quem dá emprego, Vulgo/
Pra egressa, pro ex-detento/
Que foi punido e vigiado/
Que é discriminado e panoptizado/
Sou ser humano e não um cão pra ser adestrado/
Sendo maltratado, como ser regenerado?/
Eu também sou o que o mundo fez comigo/
Agora, é muito fácil me chamar de bandido/
E a dignidade da pessoa humana?/
Cometi um erro e sou jogado na lama, tá ligado?!/”

Hobbes e Foucault souberam disso/
Que o sujeito até mata pra ficar vivo/
Pois somos vulneráveis em todo momento/
E a violência é a expressão do sofrimento, mano/
Detenção: condomínio do diabo/
Onde o cara entra e fica mais revoltado/
Volte a música, caso não entenda/
E se o que eu digo for um crime, mano: pode colocar algema.../


sábado, 16 de fevereiro de 2019

Seletividade Penal


Seletividade Penal
Penal Selectivity

"...É mais jovem, preto e pobre que vive essa experiência..."
"...It is young, black e poor that live this experience..."

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...